Weekend’s Clip: “Moonage Daydream”, de David Bowie

31 07 2010

A coluna “Weekend’s Clip” de hoje deixará de lado, pelo menos por um dia, os clipes de estúdio.

“Moonage Daydream”, de David Bowie, foi lançada em 1971, junto com o poderoso e lendário álbum “The Rise and Fall of Ziggy Stardust“, obra-prima de David.

Este ao vivo, gravado no concerto de despedida de Bowie (da sua banda), em 1973, mostra o cantor na sua melhor forma do personagem Ziggy Stardust, nome do alienígena que o artista incorporou nessa época. Pra quem não conhece a história do álbum, não se preocupe, o Acervo Musical lançará a sua análise por esses dias. ; )

Apenas curtam a música e experimentem a mente de Bowie.

@cadu_macedo





Nota de Emergência – Soko e Coquetel Molotov

30 07 2010
As primeiras notícias sobre o Coquetel Molotov 2010 já começaram a sair e… SOKO! SOKO! SOKO! SIM! SOKO! Stéphanie Sokolinski está vindo para Recife para cantar no festival e todo mundo que for vai ter a oportunidade de ouvir a ótima artista que ela é! Vamos todos odiar aqueles(as) que roubaram os corações dos nossos amados(as) em “I’ll kill her”, nos declarar ao som de “Take my heart” ou fazer as pazes cantando “It’s raining outside”. Imperdível.
.
Esse ano o Coquetel vai passar por vários lugares, começando no dia 03 de setembro, mas aporta no Centro de Convenções da UFPE dias 24 e 25. Outras atrações confirmadas (até agora): Otto, Emicida, Anna Von Hausswolff, Taxi Taxi! e Taken by Trees. O Acervo vai postar mais notícias sempre que souber de algo.




Weekend’s Clip: “Here It Goes Again”, do OK Go

16 07 2010

Boa noite, pessoal! De novo, é muito bom estar de volta!

Desculpem por esses dias sem atualizar o blog, mas é que universidade não é brincadeira. xD

Hoje, completamos a trilogia iniciada há um tempo atrás: “Here It Goes Again“, do OK Go (banda conhecida por aqui ; ]), se junta a “This Too Shall Pass” e “End Love“, formando uma das melhores “trilogias” de clipes do mundo.

Fala-se muito em trilogia pois as três produções foram criadas e tiveram motivações totalmente diferentes. OK Go continua a ser uma das bandas mais influentes nos clipes “alternativos” (e caros!), mas começa agora a dividir este reinado com conjuntos ainda mais undergrounds, fechando seu ciclo de liderança isolada. Isso é bom. Quanto mais gente produzindo conteúdo, maior será a variedade e quantidade de trabalhos sensacionais. Essa é a teoria. xD

Aproveite. Quem sabe você não faz isso na academia?

@cadu_macedo





Soko

25 06 2010

Soko (Stéphanie Sokolinski) é uma cantora francesa. Eu a descobri há pouco tempo, quando uma amiga do Twitter me indicou. Eu fui pesquisar e descobri que ela só tem um EP lançado, infelizmente. O nome é “Not Sokute” e tem cinco músicas: “Dandy Cowboys”, “Shitty Day”, “I’ll Kill Her”, “Take My Heart” e “It’s Raining Outside”. Quem gosta de Regina Spektor, Kate Nash, Tiê e derivados com certeza vai gostar dela.

Não sei se gosto mais de “I’ll Kill Her” ou “Take My Heart”. “You can take my heart for a walk on the beach / you can take my heart for a little trip / you can take my heart very close to your heart / you can take my heart forever if you like”. OK, se você não chorar com isso, com certeza vai chorar com “If I take your heart, I will cherish it every day / if I take your heart, I will heal these old wounds / if I take your heart, it’s to make it happy / If I take your heart, it’s forever close to mine”. É uma daquelas músicas que você gosta de ouvir quando acorda um dia e resolve amar alguém. Ou quando está assando biscoitos em um lindo dia de Sol. A voz da Soko tá bem calminha (até infantil, mas não é um defeito) e há uns sinos tocando. É ótima.


I’ll Kill Her” foi a que mais recebeu destaque (até porque ela foi a única que virou single). Não vou dizer que seja a melhor, mas sem dúvida foi a mais indicada pra ser uma estreia. A diferença de Soko para outras artistas do gênero que eu escuto é justamente a agressividade presente nessa música: ao invés de pôr a culpa do fracasso no seu amado (um hábito muito recorrente), ela simplesmente dispara: “If I find her / I’ll kill her / she stole my future, she broke my dream / I’ll kill her”. Pra quem está acostumado ao estilo musical de Regina e companhia, isso faz toda a diferença. E acreditem, é uma música romântica.

As duas músicas se contrapõem totalmente, é verdade; a primeira é cantada por uma garota apaixonada, de bem com o mundo, super feliz. A segunda é cantada por uma mulher ressentida, enraivada, puta da vida. E não é justamente isso que todo mundo tem dentro de si? Por mais romântico que você seja, aposto que mataria “her” ou “him”. Go Soko.

It’s Raining Outside” é a música de fossa, daquelas que você ouve fumando um cigarro em uma cadeira de balanço em uma madrugada de chuva. “I run away by foot / lost in the empty street / you are supposed to follow me / but you are too proud to do it / here in my bed, you’re miles away from me / here in my head, you’re never close to me / come on, don’t be mad, I told you I need you / come on, don’t be sad, I’m still in love with you / I’m still in love with you / I’m still in love with you.” Acho que tudo já foi dito.


Soko é pouco conhecida aqui, mas ela é uma atriz até famosa na França (ela já foi indicada ao César Award pelo papel de melhor atriz) e já abriu os shows de Pete Doherty, Babyshambles, Kate Nash, Nouvelle Vague, M.I.A., dentre outros; ela já cantou na Dinamarca, Reino Unido e Austrália. Em janeiro de 2009, infelizmente, muito infelizmente, ela declarou no MySpace que estava “morta” e abandonando a carreira musical, porque a indústria da música a estava assustando e ela queria voltar a atuar. Em agosto, uma luz no fim do túnel: ela falou que havia “renascido” e agora estava escrevendo novas músicas. Ela também tem um álbum duplo (~Matheus em êxtase~) gravado, mas não pretende lançar. Mas quem sabe, né?


Essa foi a minha estreia aqui no Acervo. Eu vou voltar periodicamente com a minha coluna, “Quinto Andar“. Espero que tenham gostado.

@idealismo_

*Matheus é colunista do Acervo Musical





Fique sabendo de tudo do Acervo!

22 04 2010

Quer receber todas as atualizações do Acervo Musical de uma só vez?

Pode relaxar! Deixe que o feed do nosso blog faz isso pra você!

A única exigência é esta: possuir uma conta num leitor de RSS! Já tem? Não?! Então corre pra fazer!

Ah, além disso, você pode também assinar nossa newsletter! Aí do lado direito, existe um campo para você colocar o seu e-mail. Feito isso clique em “Eu quero assinar o Acervo Musical!”. OK?

Esperamos que apreciem!





Álbum: “7 Desejos”, de Alceu Valença

1 02 2010

Para ingressar no universo da música brasileira, eu escolhi esse brilhante compositor pernambucano que estourou nas rádios de todo o país em 1980 com a música “Coração Bobo”. A partir daí, Alceu Valença consolidou-se como um dos grandes nomes da Música Popular Brasileira. Em “7 Desejos” músicas românticas, folclóricas, frevo e forró parecem se combinar harmoniosamente nesse vinil/CD que guarda grandes sucessos do nosso “Bicho Maluco Beleza”.

***

Feitas as devidas apresentações, vamos à tracklist do álbum:

  1. Papagaio do Futuro – Vinheta: uma faixa com apenas 27 segundos que traz um trecho da música homônima que pode ser ouvida por completo na faixa 8.
  2. La Belle de Jour: grande sucesso do artista, essa música romântica nos fornece uma perfeita descrição de um cenário e uma personagem, que nos faz viajar até a “praia de Boa Viagem na tarde de um domingo azul”. (ouça aqui)
  3. Tesoura do Desejo: com a participação mais que especial de Zizi Possi, essa música é estruturada como um diálogo, aparentemente, entre dois amantes. (ouça aqui)
  4. Sete Desejos: embalada pelo característico som do triângulo, a música que dá nome ao álbum fala de lembranças e de um novo recomeço amoroso. (ouça aqui)
  5. Junho: composição conjunta de Alceu e Geraldo Valença, a letra retrata um turbilhão de pensamentos dos dois autores. (ouça aqui)
  6. Tomara: uma parceria com Rubem Valença Filho, essa canção de amor também se consagrou como um sucesso do Alceu Valença. (ouça aqui)
  7. Bicho Maluco Beleza: apresentada nesse álbum numa versão mais “tranqüila”, essa música ganhou o Brasil no ritmo frenético do frevo e está presente no repertório de toda orquestra de frevo que se preze. Foliões de Olinda e Recife parecem ter a letra na ponta da língua e quando os primeiros acordes ecoam, um coro começa e os passos de um frevo rasgado acompanham a canção. (ouça aqui)
  8. Papagaio do Futuro / Coco das Serras:marcado pelo batuque do pandeiro, esse coco une 2 letras, sendo uma do Alceu Valença (Papagaio do Futuro) e outra de domínio público do Estado de Alagoas (Coco das Serras). (ouça aqui)
  9. Desprezo: com uma percussão caprichada, essa é uma canção-protesto contra os inimigos da natureza e da cidadania. (ouça aqui)
  10. Respeita Januário: um clássico de Luiz Gonzaga e Humberto Teixeira que ganhou um novo arranjo nas mãos de Alceu. (ouça aqui)
  11. Desejo: canção de amor embalada por um sax soprano que resulta numa melodia suave e gostosa de se ouvir. (ouça aqui)

.

#opulodogatose você quiser curtir mais Alceu Valença recomendo o DVD “Ao vivo em todos os sentidos” gravado ao vivo no Rio. E se quiser mais emoção, venha para o carnaval de Olinda e Recife que ele é presença garantida nos principais pólos de atrações.





Álbum: “Led Zeppelin IV”, de Led Zeppelin

27 01 2010

Bom, pra começar a nossa discussão construtiva sobre o mundo da música do século XX, eu escolho nada mais, nada menos que o tão importante “Led Zeppelin IV”, o 4º álbum lançado pela banda inglesa. Na verdade, o álbum não possui título, idéia de Jimmy Page, cansado das críticas atribuídas ao não menos importante “Led Zeppelin III”.

Composto por 8 músicas, o CD (relançado anos atrás) possui pinturas por dentro, nenhum texto sobre a produção do CD, os famosos quatro símbolos dos astros da banda e apenas a letra de “Stairway to Heaven”.

O álbum foi adquirido, em todo o mundo, mais de 37 milhões de vezes, entrando pra lista dos mais vendidos de todos os tempos. Em 2003, ficou na posição 66 do ranking da revista Rolling Stone.

***

Feita a descrição, vamos então a ótima e famosa tracklist do álbum:

1. Black Dog – bem conhecida, Black Dog fala sobre um homem descrevendo os “sentimentos mais primitivos” que sente por uma mulher. Ótimos acordes, destaque pra Robert Plant. (Veja aqui)

2. Rock and Roll – outra sobre o amor, Rock and Roll imortalizou-se pelo refrão “been a long lonely, lonely, lonely, lonely time”. Fantásticos acordes, destaque pra Robert e Jimmy Page. (Veja aqui)

3. The Battle of Evermore – utilizando-se do bandolim, a banda deu novos ares e novo gás às suas composições. (Veja aqui)

4. Stairway to Heaven – uma das melhores músicas do rock mundial. Não há críticas sobre “Stairway to Heaven”. Com certeza, essa música foi o carro-chefe de vendas e sucesso do Led Zeppelin. Não há como definir o que é a profundidade e o significado de “Stairway to Heaven”, considerada uma das mais lindas músicas já escritas. Tire sua conclusão também: Letra com tradução (Veja aqui)

5. Misty Mountain Hop – batidas mais modernas, destaque para a mixagem. (Veja aqui)

6. Four Sticks (Veja aqui)

7. Going to California – bem calma, ideal para domingos e dias chuvosos. Quase acústica. (Veja aqui)

8. When The Levee Breaks – batida bem legal e ótima sincronia. Depois de Stairway, melhor música do álbum. Conta a história de uma “certa barragem que estoura, e aí meu filho, você não tem onde ficar”. Bem psicodélica e filosófica. (Veja aqui)

.

#opulodogato –  (Essa é a parte do post em que a gente vai dar uma dica que resume tudo) Ficou interessado no Led Zeppelin? Uma imperdível sugestão é o DVD “The Song Remains The Same”, gravado no Madison Square Garden. Eu tenho um exemplar! 🙂

.

Espero que tenham gostado. Abraços. twitter.com/cadu_macedo